4 riscos & rabiscos

Like a white winged dove...

... we can sing, and we can fall. But we can always fly once more again.

Ouso dizer que já não sinto sua falta.
Que você agora já não passa de uma lembrança gostosa.

Ouso dizer que estou mais leve, mais tranquila. E que meus medos que tanto me apavoravam agora são só detalhes aparentemente simples de lidar.

Senti meu coração bater mais forte, nao por amor ou paixão. Mais por vida, por finalmente ter notado a janela aberta e ter percebido e ido além dela.
Senti meu pulmão enxer-se de ar -- e foi realmente bom!

Senti raiva, senti tristeza. Me vi cair de joelhos sobre as areais com pedrinhas afiadas, mas nem por isso deixei de me levantar, embora o tenha feito com muita dificuldade.

Ouvi a melodia do vento com as árvores e de cada pássaro com seu canto maravilhoso.

E embora tenha presenciado tudo isso, voltei a afogar-me em mágoas e lembranças pezarosas, daquelas que só te puxam pra baixo, sem nem te pediram licença.
Mas embora esteja assim, não me sinto mais desesperada ou sem solução, porque sei que tempo vai, tempo vem, cada peça desse quebra cabeça imbecil do qual eu tenho participado vão finalmente se encaixar e essa jogada vai terminar. E como estou fazendo minha parte, seja qual for o resultado, terá sido merecido.

Ah, mas nem por isso deixei de cantar. E devo dizer que embora sem prática ou treino, não tô cantando tão mal assim. Não tá algo digno de ovação. E dane-se quem achar que sim.

Sem muito o que postar, só precisava desabafar. Aliás, até tenho algo novo a postar, uma historinha, ou o começo dela... mas ficou em um papel rabiscado em casa. Postarei depois ;D



2 riscos & rabiscos

You, you and you.


Fiz no busão, a caminho de casa e em inglês, porque saiu assim. Logo farei um novo post, pra compensar, até pq tudo aí não tem importância alguma.





 You, you and you

I cannot remember, but I made you a poem last night. It talked about how much I wanna hold you tight, but, in the other hand, I want you to go further away from me.

And I decided something about you’. I don’t want you‘ anymore. Not in that way I used to. We can continue as friends, that cute-cute and weird friendship of us.

And I want you* badly. But I don’t know what that could turn me into, so I don’t think I’m gonna go too far with you*. It just feel too wrong, too right... too good in the right time.

But you, oh you… I keep remembering of you and I shouldn’t! You make me bad, you make more crazy than I already am. When you were what you were about one year ago, you were just too perfect to me. My heart went crazy everytime I saw or talked to you and when I didn’t… it just kept wishing I did, ‘cuz it already knew you wanted me just bad and wrong as I wanted you. And now… now everything are just tears in a silver rain, a memory already gone that keeps hunting me late at night, in my deepest, sweetest and harder dreams. I wish I didn’t met you, or even knew you at all. I wish you kept being someone I heard people talking of. All you did, was make me bad, make me see who I am, who I could be and who I wish I really was. Oh, you make me bad… And I didn’t even liked your kiss or your hug or even your touch, but I still dream about you in all those dreams that I would trash if I could. Oh, you made me bad, and now I just cant come back to what I was before. (not that I would if I could)
4 riscos & rabiscos

Tem um homem torrando na minha tv...

Literalmente! O cara tá pegando fogo. Bom, azar o dele de estar num filme com lava que não acaba mais.

Mas aposto que ele tá mais feliz que eu, que sumi de qualquer vida social (exceto umas poucas pelo msn) por causa de trabalhos da faculdade. Bom, ninguém mandou querer ser dona do próprio nariz na hora errada! (o trampo pesou, nao consegui ver aula direito e me lasquei nos trampos: realmente, fazer trabalho de faculdade da meia noite as seis não é uma opção muito legal)

Tirei 15 dias de férias e vim de cara amarrada pra casa. E agora to voltando meio amarrada pro trabalho. Conforto da casa de mamãe e a comida deliciosa que mães fazem não tem igual. Aqui tá parado, um tanto quanto sem vida, mas tá gostoso. E eu repensei boa parte da minha vida, repensei conceitos e valores - não que os tenha trocado - e recordei muita coisa do passado. Ele não é um mar de rosas, mas muito menos uma parede de espinhos. Sabe aquela paradinha em frente ao espelho, em que você reflete, se recorda de quem é, imagina o futuro e constrói planos? Aquela paradinha em frente ao espelho que vira aquela luzinha no fim do tunel de que tanto precisava? Pois é, é dela que eu to falando. Eu consegui a minha.
Ainda to com sensação de estar presa no fundo do oceano, sufocando cada vez mais, conforme o peso me puxa pra baixo, mas pelo menos a luz da superficie na água voltou a ficar mais intensa, e visível.

Sonhei esses dias que minha irmã tinha me vendido no mercado negro! O que exatamente ela conseguiu de pagamento eu nao sei, nao devo valer mto huaehuaehuaehuae mas ela tinha me vendido! Mas eu escapei, nossa, que sufoco! No sonho eu tava andando de carro com um cara amigo meu (nao sei quem era), ai ela me ligou e disse que tinha caido num desfiladeiro e que tava presa lá. Aí eu fui lá ajudar. Chegando lá, eu tive que descer desfiladeiro abaixo, mas quando tava quase descendo, o cara que tava com ela deu um jeito de arrebentar minha corda e eu caí. Antes disso, o meu amigo disse "nao da pra vcs terem caido aí!", mas aí eu já tava no chao. Minha irma tava me amarrando e me arrastando quando o cara que tava comigo arrombou uns buracos no lugar e a água começou a invadir o espaço aos montes. Minha irmã juntou com o cara que tava com ela e se mandou, e o cara que estava comigo me arrastou até a margem do que agora tinha virado um lago. E aí eu acordei.
Eu e meus sonhos estranhos....



Tô besta: Sou eu ou realmente a mídia anda 'pintando' o bissexualismo como se fosse algo "so fuckin' cool and awsome, man!"? Não to criticando a bissexualidade ou mesmo a homossexualidade, nada contra, cada um com suas escolhas... O que critico é uma hora a mídia ajudar a incentivar isso como se fosse uma doença e em seguida mostrar como se fosse a coisa bonitinha, NORMAL, quente e 'sagaz' que já se viu.
 
;