0 riscos & rabiscos
Um velho texto que eu publiquei...

Com uma forte dor de cabeça, ela abriu os olhos e viu que estava dentro de um quarto totalmente fechado, sem portas, nem janelas. Um quarto lacrado e iluminado por faixas feitas em tinta néon nas quatro paredes.
Colocou-se de pé e tateou as paredes, procurando alguma saída que não estivesse visível, mas em vão.
Tentando não entrar em pânico, ela sentou-se abraçada às suas pernas e procurou imaginar como tinha parado ali e, por mais que pensasse e imaginasse, não encontrava respostas. Não sabia sequer quem era.
Desanimada, ela olhou para cima e viu que o teto refletia a luz néon das paredes.
“Será um teto de vidro?”, pensou ela.
Pondo-se de pé, ela ergueu os braços, não para tocar o teto, mas para medir a altura da parede e viu que esta não era tão alta assim.
A garota tinha 1,80m e a parede devia ter por volta de 2,30m, de modo que, quando ela pulou, ela pôde tocar o teto e sentiu que ele era, de fato, de vidro. Por ser tão escuro, era um teto com insulfilm.
Andou em volta de si mesma, pensando por uns instantes e, então, começou a gritar, olhando para o vidro.
- EI! TIREM-ME DAQUI, TIREM-ME DAQUI!!!
Gritou por quase uma hora até que, exausta e com falta de ar, caiu desmaiada no chão.
Em seu sonho, ela se viu entrando em uma sala muito branca onde havia mais três jovens e um homem de terno, atrás de uma mesa.
Ela não conseguiu ouvir o que ele dizia aos jovens, não ouvia som algum, apenas via a cena. Pouco depois, quatro oficiais entraram na sala e acompanharam os adolescentes até um jardim. Dali, ela viu um oficial levando-a até uma escadaria que dava em uma caixa, suspensa no ar por seis colunas. A escada levava ao topo da caixa, onde o oficial apertou um botão e o lado de cima se abriu, dando passagem à garota, que entrou, caindo em pé dentro da caixa. Antes de fechar o teto de vidro, ela ouviu o primeiro som do sonho: ouviu o oficial dizer “Grite seu nome, Cassie, grite seu nome”. Minutos depois, já dentro da caixa, ela viu gases entrando por orifícios que se abriram no piso, fazendo-a desmaiar.
Assustada, ela acordou do sonho onde vira a si mesma sendo trancafiada na caixa e, lembrando-se do oficial, ela colocou-se de pé e, pulando, começou a gritar desesperadamente “CASSIE, SOU CASSIE!!! DEIXEM-ME SAIR, POR FAVOR!!!”, mas em vão.
Dormiu.
Horas depois ela acordou com um barulho e viu uma pequena parte do chão se mover para baixo, dando passagem à dois oficiais vestidos de branco que entraram, aplicaram-lhe uma injeção e a retiraram dali.
 
;